sábado, agosto 12, 2006

Diário de bordo 3: hou, you are incredible, Mr. Incredible!!!

ALOOOOOOOOOOOOOOOOOUUUUUUUU vocês!!!!!
Por que se escreve?
Para comunicar.
Para amar.
Para se realizar plenamente como ser humano.
Para preencher vazios.
Para responder perguntas que não tem respostas.
Por desespero.
Por completa incapacidade de fazer outra coisa.
Por tesão.

Em uma mesa chamada "Sobre o Amor e Outros Demônios" que versava sobre escatologia e desajustes, o que poderia se esperar? Título de um livro do gabriel garcia marquez, sobre uma santa bruxa louca que viveu e amou desesperadamente em uma cidade que provavelmente era muito parecida com paraty.
Já tentou empurrar um carrinho de bebê pelas ruas de uma cidade histórica? tipo as ruas de paraty?
Então, Lourenço Mutarelli roubou a cena de novo, sensacional. Por que escrever se o que vc escreve não perturba? Conheci o André Santana e ele também manda ver bem pra caraio.
Nossa.
Mais importante que escrever? LER!!!! Ler e reler e reconstruir e resignficar e reinar. Uma palestra chamada "O último Leitor" com o argentino chamado Ricardo Piglia, que tombou dodói e foi substituído de última hora por José Wisnick que fez uma senhora leitura sobre UM conto de Machado de Assis e tirou de lá tantos significados e tantas relações que não pude acreditar. Crédito do autor ou do leitor?
E Mr. Foer? Mr. JOOOOOOOOOOONTHAN SAFRAN FOOOOOOOOOOOOOOER? Ele é casado com a Nicole Krauss!!! Vc sabia? Eu tambem não. Cool, hein? Descobri isso quando encontrei os dois tentando empurrar o carrinho do filhinho pelas pedreiras que eles chamam de rua nessa cidade.
Ali Smith: escocesa, escritora bacana, apaixonante, conheci ela aqui. Conheci mesmo, bati foto deitado em cima da mesa com ela. Mas essa história eu só conto bêbado. FERA! FERA! RÁ! RÁ! RÁ!!!!!
Até onde dá pra ir? Até onde dá pra ir? Prédios em chamas, crianças mortas, podreira, miséria afetiva, emocional, espiritual. Mundo doente, perdido, assustado, covarde, cruel, apaixonante. Não sou leve, as pedras racham sob meus pés. Viver é um esforço. Desprezo as pessoas que são felizes. Cuspo nas pessoas que acham a vida bela. Fodam-se os risos fáceis, a leitura fácil, foda-se toda maldita mediocridade do mundo. Quando rio, rio com gosto, rio com raiva, rio pouco, mas quando rio quero que escutem nas profundezas do Inferno, porque nessa selva alucinada de desespero e angústia um riso sincero vale ouro. Um riso sincero é tudo...
E eu estou aqui agora.
Não estou a trabalho, estou a passeio.
Estou de passagem.
Até onde dá pra ir?
De onde vem as palavras?

Uma máscara.
E por trás da máscara, uma pergunta.

O que é mais importante: o mundo lá fora ou o mundo dentro da sua cabeça?
Uma pergunta melhor ainda: qual a importância de saber disso?

Bêbado, louco e feliz. E furioso.

Ah, bem. Conheci umas garotas. É divertido. Fútil, vazio e descartável. Mas divertido. Macio. Quentinho. Gostoso.

Por trás da máscara
lhe tenho amor
lhe faço horror
eu sou um ator...

uh.
espero não me arrepender disso amanhã.

Na linguagem humana, "gente, isso aqui está demais!".

Manhana com miss Nicole Krauss.
E otras cositas mas...

"Dentro de cada homem há um vazio do tamanho de Deus".
Dostoyevski.

Quem se considera escritor num mundo onde há Dostoyevski, Machado, Kafka, Bukowski?
Cachaça. Um brinde...
Desculpem o mal jeito.
Estou bem.
Alguém na minha família pode não estar.
Nos vemos amanhã.
Beijos a todos.
Amo vcs.

Um comentário:

Liberland disse...

Foi bacana mesmo, hein? HAHAHAHAHHAHA!!!