domingo, maio 06, 2007

Ah...


Tédio, tédio, tédio...

Daí me chamaram pra ver Homem -Aranha 3. Tarde chuvosa, lá fomos nós. Ia ver com os camaradas, era um filme que fazia tempos que eu estava esperando. Mas o engraçado é que eu não estava empolgado.

Fiquei sentado no cinema, parado diante da grande tela, pessoalzinho chegando, as luzes ainda acesas. Eu ia assistir Homem-Aranha 3, e não estava empolgado.

A questão é que o Homem-Aranha era um dos meus personagens favoritos na infância. Apesar de eu não acompanhar as histórias dele (na verdade, acho a maioria bem sofrível...), eu curto o herói pra caramba. Eu tinha lá meus cinco anos e assistia aquele desenho animado, aquele primeiro, meio sombrio, com os prédios se repetiam no cenário à medida que o Aranha avançava. Eu adorava. Curtia a musiquinha "Spiderman, Spiderman..." (saca, aquela que os Ramones regravaram um tempo atrás...).

Quando o primeiro Spiderman estreou eu curti muito. Muito mesmo. Vibrei na platéia. Há testemunhas. Já o segundo filme me surpreendeu. Porque, enquanto o primeiro é um filme legal de super-herói, o segundo é um filme BOM de verdade. Impressionante! Spiderman 2 reunia todos os elementos dos quadrinhos clássicos, todos os bons elementos, e jogava ainda uma dramaticidade inesperada. Sem exageros, sem extremos. Simples e direto. Fabuloso.

(Repare que, eu realmente gostei de Homem-Aranha 2).

Daí, quando as luzes apagaram e começou a abertura do filme, a teia, a música do Danny Elfman... daí o velho espírito me conquistou. Um estado de empolgação que é difícil de descrever. Cara, era a conclusão da trilogia! EEEEEBA!

A empolgação durou até metade do filme. Daí aconteceu alguma coisa...

É tudo uma questão de ritmo, eu acho. As coisas aconteceram com pressa, como uma pessoa que tem um monte de coisas pra dizer e muito pouco tempo. E o exagero? Precisa de toda aquela terapia de grupo? O Spiderman 2 era muito mais simples e talvez por isso muito mais bacana... Triste. Não que o 3 seja ruim, ele só é afobado e desajeitado. Faz a gente perceber que está assistindo um filme. Daí quando a gente se lembra fica aquele gostinho de "puxa, podia ter sido melhor..." Enfim...

Ritmo. Ficamos falando sobre ritmo. Sobre construção de personagens. Sobre motivação e até que ponto pode-se usar a "coincidência" numa ficção antes que comece a parecer muito forçado. A gente saiu falando de ritmo e narrativa de Homem-Aranha 3.

Cara, eu acho que estou ficando velho e chato...











2 comentários:

teca disse...

ih, liber, toma cuidado entonces..rrssrs

teca disse...

quero dizer, sobre o meu post anterior, foi sobre o quadrinho do calvin..rsrs...acho q quem tem q ir pro asilo sou eu..rsrss