quarta-feira, março 11, 2009

Coisas legais

Fazendo as contas, descobri que esperei quase vinte e cinco anos por isso. Ontem comprei um Dinobot, um tipo de transformer que vira dinossauro. O nome dele é Grimlock.

Comecei a gostar de transformers quando a primeira série animada foi ao ar, lá por 1986. Eu tinha uns 12 anos e curtia pra caramba os desenhos, mas o que mais me fascinava eram os Dinobots.

Os dinobots eram bem singulares. Não se transformavam em carros ou aviões, como os outros robôs da série, e falavam errado (coisas do tipo "Mim, Grimlock, furioso!"). Falando bem a verdade, eram fabulosamente estúpidos. Também eram maiores que os outros transformers e geralmente resolviam qualquer parada na base da porrada. Quando a barra pesava pros autobots, os dinobots eram o reforço da pesada: caiam arrebentando tudo ao redor. Impossível não gostar deles. Eu adorava.

No começo eram só três robôs que viravam um triceratops (Slag), um brontossauro (Sludge) e um tiranossauro (Grimlock). Logo em seguida surgiram mais dois: Swoop (pteranodonte) e Snarl (estegossauro). Eram cinco dinossauros engraçados, todos quadradões e pintados com uma mistureba maluca de cores berrantes (cinza, amarelo, vermelho e azul). Eu curtia tanto os bichos que até me meti a construir réplicas deles.

Usando como base as imagens do álbum de figurinhas e a marcenaria do meu pai, fiz os cinco dinossauros robôs com retalhos de madeira. Eu projetava e meu velho cortava as madeiras. Daí eu ia montando e pintando.

Bem mais tarde fui descobrir que os Dinobots, assim como todos os outros transformers, eram brinquedos muito populares fora do Brasil, mas que jamais chegaram aqui. Eles eram os mais caros transformers, custavam cerca de 25 dólares cada um. Mas olhando pras fotos da internet, acho que minhas versões em madeira eram mais bacanas.

Depois de construí-los em madeira, minha obsessão não passou e escrevi algumas dezenas de páginas de histórias em quadrinhos estreladas pelos monstrengos. Acho que nunca fiquei tão vidrado em qualquer coisa em minha vida quanto pelos dinobots naqueles dias.

A fissura diminuiu com o passar dos anos, mas nunca desapareceu completamente.

Uns três anos atrás topei com um Grimlock modelo clássico, importado, numa dessas mega-boga-lojas de brinquedos, mas não tinha a grana pra comprar. Daí ontem topei com a versão Grimlock do novo desenho animado.

Eu sempre achei os antigos dinobots quadradinhos e encaixotados demais. Eles não tinham movimento nenhum, eram uns bloquinhos compactos. Depois descobri que eram desenhados assim pra se parecerem mais com os brinquedos. Na nova série animada, os caras soltaram mais a mão, fizeram umas versões bem mais estilizadas e estilosas. Muito mais bacanas. Agora o tiranossauro tem uma silhueta mais dinâmica, a estrutura de suas pernas lembra mais a do animal original. A mandíbula exagerada e caricata deixa o robô com um ar de cartum bem mais expressivo do que o antigo brinquedo. E a aparência robôtica permanece, mas agora com mais curvas e detalhes maneiros.

Comprei esse novo Grimlock e... bem, sabe quando você compra uma coisa e se arrepende amargamente? Imagine o sentimento completamente oposto a isso. Coloquei o robozinho na minha estante e às vezes paro e fico admirando... imaginando como os caras fizeram algo tão bacana. Como conseguiram traduzir o traço estilizado do desenho animado pro brinquedo? Como os caras bolaram os encaixes, os moldes das peças? Como acertaram tão bem as proporções? Um dia vou estudar esses transformers como caso de design...



Sim, isso é nerdice total em grau máximo. Mas o bacana da internet é você descobrir outros malucos que curtem as mesmas coisas. Quando se trata de Dinobots, tem muito mais gente que curte o assunto zanzando por aí do que se poderia imaginar...





Grimlock rules.


Um comentário:

Anônimo disse...

Buenas "Velho Amigo",

Não está na hora de escrever sobre "Watchmen. O Filme" ?

T+
---
LVR