domingo, agosto 23, 2009

Considerações

Gente, o HQ Mix foi muito alucinante.

O prêmio tem um significado muito especial pra mim, num nível pessoal e profissional. Foi muito surreal encontrar ao vivo as pessoas que a gente lê. Tipo o Mauricio de Sousa, que sentou na mesma fileira que eu. Ou o Laerte, que foi super-simpático na nossa rápida conversa no fim do evento. E Fabio Moon, Gabriel Bá, Rafael Grampá, Eduardo Nasi, Sidney Gusman, Cassius Medauar e...

Mas não foi só tietagem.

A cerimônia foi marcada por dois temas recorrentes em todos os discursos: a educação e a censura dos quadrinhos.

Tudo por causa daqueles episódios infelizes dos quadrinhos "impróprios" distribuídos para as escolas. O fato é que até o ministro da educação Fernando Haddad esteve presente na premiação.

É curioso notar como em muitos discursos se falou da importância dos quadrinhos na educação e formação das crianças e tal. Mas é como dizer que a única literatura possível é a literatura didática. Não rola. Quadrinhos são muito mais que isso, gente.

Um colega comentou comigo que quem faz quadrinhos jamais é bem pago. Ele já fez quadrinhos e trabalha com ilustração e comentou que fazer uma história em quadrinhos requer muito empenho. Não é só desenhar. Fazer quadrinhos também é escrever, é elaborar sequências, painéis, layouts. Segundo esse colega, elaborar uma página de quadrinhos requer muito mais empenho que fazer uma ilustração. E no fim, a página é menos valorizada comercialmente do que a ilustração. Claro que essa é uma afirmação discutível, mas concordo com ele.

Quem faz quadrinhos não o faz só por dinheiro. Quadrinistas são mais ou menos como o Coringa do Heath Ledger no filme Cavaleiro das Trevas. Não é pelo dinheiro. E se você precisa que te expliquem o porquê, então você não vai entender de qualquer forma.

Muitos dos grandes sites que comentam quadrinhos são movidos por profissionais motivados antes de tudo pela paixão que tem pelo tema. Paulo Ramos (responsável pelo Blog dos Quadrinhos, também vencedor do prêmio) fez uma senhora cobertura do caso do governador Serra e dos quadrinhos "impróprios". Tudo isso sem receber nenhum incentivo financeiro.

Lógico que a parte financeira é fundamental e seria bacana se os quadrinhos fossem mais valorizados. Os próprios envolvidos no HQ Mix não recebem grandes verbas. Eu banquei minha própria viagem e se não fosse pela galera da Openthedoor, eu não teria onde ficar em Sampa. Alguns premiados não compareceram por impossibilidade de viajar.

Não é reclamar por falta de grana, é só deixar claro que o que nos move é algo mais do que a recompensa financeira. E também é algo mais do que criar peças para serem usadas na educação das crianças.

É diversão, é obsessão, é satisfação pessoal. É algo mais.

Não sei bem pra onde os quadrinhos caminham, mas acho que as coisas vão mudando pra melhor, cada vez melhor.

Para outras considerações sobre o HQ Mix, visite o Blog dos Quadrinhos e leia a análise do Paulo.

E vamos nos falando.



Nenhum comentário: