sábado, janeiro 30, 2010

A Última Cidade


Mais ao sul de Ushuaia, só existe algumas ilhas e o continente antártico. Ela é a cidade mais meridional do mundo e por isso chamada Cidade do Fim do Mundo e coisas assim.

Lá, no verão, o sol nasce às 4 da manhã pra se por às 10 e meia da noite. No inverno, o dia dura das 9 da manhã às 3 da tarde. Localizada em uma ilha onde a única coisa comestível que floresce da terra é um cogumelo insosso, Ushuaia não tinha muitos atrativos para convencer as pessoas a ficarem por lá.

Por isso a primeira tentativa de povoação no século XIX se deu pela implementação do presídio de segurança máxima de Ushuaia. Montanhas, oceano e frio severo tornavam as fugas impossíveis. Em 1947 o presídio fechou. Mais tarde, o governo transformou a cidade em uma zona franca, livre de impostos e muito atraente para se estabelecer indústrias. Hoje o forte do lugar mesmo é o turismo. O presídio ainda está lá, transformado em museu. Mal-assombrado, é lógico.

A maioria das casas tem cercas baixinhas ou cerca nenhuma e são pouquíssimas as casas com grades na janela. Furtos são raros e nunca se viu latrocínio na cidade. Há bares para se curtir a noite, uma universidade (foco em turismo) e passeando pelas ruas a gente pode encontrar umas pinturas bacanas pelas paredes. E talvez ouvir músicas bem peculiares, como uma versão argentina de O Tempo não Para do Cazuza...




2 comentários:

Anônimo disse...

amei essa cidade principalmente as músicas ;p!

mimi disse...

numca fui mas adoraria ir so pela as imagem