terça-feira, setembro 28, 2010

Heroínas


A primeira vez que ouvi falar de Laura Vazquez foi quando a Marilda me mostrou o livro da moça: El oficio de las viñetas. Um livro de trezentas e poucas páginas apresentando o resultado da pesquisa de doutorado sobre o panorama das histórias em quadrinhos na Argentina, no período de 1968 a 1984. "Isso aqui é outro nível" a Marilda me disse mostrando o livro.

A segunda vez que ouvi falar de Laura Vazquez foi cinco minutos depois da primeira vez, quando entramos no site do evento Viñetas Serias. Ela encabeçava a direção do Primer Congreso Internacional de Historietas. E organizar eventos não é tarefa fácil...

Eu a encontrei pessoalmente lá no congresso. Muito jovem a moça, sorridente, simpática, atenciosa. Gente boa mesmo.

Em seu livro, Vazquez escreve umas quatro páginas de agradecimentos, para todas as pessoas que colaboraram em seu trabalho. Ao fim da lista, cita o companheiro e a filha. Ao moço ela agradece por ser um crítico implacável e companheiro ideal: durante a pesquisa, ele a acompanhou aos lugares mais insólitos e não se incomodou por ter a casa inundada de pilhas e pilhas de revistas antigas. Da filhinha, Laura conta essa história:

"Cuando comecé con la investigación, era tan chiquita que una tarde, al oírme hablar de Yellow Kid, corrió a su cuarto, me trajo una plancha de stickers de Hello Kitty y con tremendo entusiasmo me dijo: 'Mamá, acá te consegui uno! Ahora vayamos a la plaza!' Y fuimos, claro. Ella es mi mejor y más bella aventura."

Adorável, não?

Seria já o bastante pra admirar a moça, mas ainda descobri que ela escreve roteiros para quadrinhos. Roteirista de quadrinhos!

Laura virou minha heroína. O autógrafo dela tem um valor especial pra mim.


E gosto de pensar nas minhas heroínas daqui também. Como a Marilda, minha orientadora e amiga. Mais uma dessas mulheres notáveis, que é mãe, professora e pesquisadora. E escreve, sabe, pensa, questiona e faz todas essas coisas com uma leveza maravilhosa. (Puxa vida, o celular dela toca a musiquinha do Arquivo X!)

Acho que é isso que me fascina nessas moças. Como elas se realizam com todas as dificuldades que possam encontrar no caminho e ainda assim passam tanta leveza, tanta felicidade em seus trabalhos, em seu jeito de levar o dia a dia.

Sin duda, una gran aventura...

Nenhum comentário: