segunda-feira, dezembro 20, 2010

Em 2010 eu descobri que...

É um jogo. As regras são essas aqui. A ideia é do MaxReinert.

******

...hype não é nenhuma garantia de qualidade.

Hype é quando se faz uma promoção de uma pessoa ou de um trabalho. Começam os cochichos no twitter, começa burburinho tipo "pô, o trabalho do fulano é foda", "quando sair você tem que comprar" e coisas assim. Mas você não vê nada do trabalho do fulano.

E quando finalmente estréia, o que você tem é uma histeria de pessoas que falam que tal livro ou quadrinho é "obrigatório" e você vai na onda e compra pra descobrir que todas as promessas, todo o burburinho, todo o hype eram bem maiores do que a obra em si. Coisa triste.

Pessoal tá começando a viver muito em função de blá-blá-blá, falatório e rasgação de seda. Não se pensa mais no trabalho, no processo de criação em si. O que importa é o hype e produzir rapidinho material com discurso vazio embalado em formas bonitas. O que importa é vender, consumir e fomentar o hype da próxima obra obrigatória.

E só.

Tem muita coisa boa por aí, mas em 2010 eu descobri que cabeças-ocas também podem ter seu lugar ao sol graças aos hypes.

Nenhum comentário: