quinta-feira, dezembro 02, 2010

"Mas 2010 ainda não acabou, ainda vou tentar..."


...legalizar a maconha.

Adoro o capitão Nascimento e os Tropa de Elite e conheço bem o discurso "são esses playboys mauricinhos que sustentam essa corja de traficantes". E até concordo com ele.

Mas agora, aparentemente, os traficantes estão sendo excluídos da equação... (O que me faz pensar: por que essa operação não foi feita antes? Melhor ainda: por que ela está sendo feita agora? Tenho certeza de que existem mil boas razões para isso e que você está ansios@ pra me elucidar. Então fique à vontade nos comentários.) ...então, porque não considerar o assunto? Tipo, se o bagulho fosse legalizado, não teria tráfico, né?

Veja só, pelo que li foi encontrada 30 toneladas ou mais de erva. Ora, isso é coisa pra caramba. Quer dizer, se você tem 30 toneladas de produto estocado, tem bastante gente consumindo isso, né? Não dá pra levar isso em consideração em uma discussão?

A maconha tem muitos problemas. É considerada a porta de entrada para outras drogas, tipo a cocaína e o crack. Dizem que ninguém começa a usar drogas direto pela cocaína. Sempre se começa pela maconha e depois se procura algo mais forte. Mas também isso não quer dizer que todo mundo que fuma maconha vai necessariamente passar pra cocaína. Se você souber de algum estudo com estatísticas, por favor me apresente. Toda a informação é bem-vinda.

Outro problema com a maconha é que ela pode induzir a surtos psicóticos que duram de 7 a 10 dias. Com a maior quantidade de consumo da erva esses surtos podem durar indefinidamente. E entenda por surtos psicóticos alienação e alucinações. Entretanto, aparentemente esses surtos acontecem numa quantidade pequena de pessoas, que tem uma pré-disposição. Novamente me falta acesso a pesquisas confiáveis e a gente fica no achismo. Mas nunca conheci ninguém que tenha tido o tal surto.

O ponto positivo da maconha: a sensação é ótima. Claro que isso depende de pessoa pra pessoa, mas as 30 toneladas de estoque indicam que uma quantidade significativa de seres curtem esse barato. E tirando os tais surtos psicóticos que acontecem numa parcela menor, aparentemente ela não tem consequências graves. Acredite em mim, muita gente que você admira consome ou consumiu essa erva alguma vez na vida.

Podem argumentar que essa comparação não é válida, mas a bebida é legalizada e causa muito mais dano que a maconha. Se a maconha não pode ser legalizada, por que a gente não proíbe a bebida também? E todos os argumentos que você possa me dar a favor da legalização da bebida, que sejam utilizados a favor da erva. Oras. Você curte dar um golinho e o outro cidadão não pode dar um tapinha? Oras.

Então, 2010 não acabou e antes do fim do ano vou tentar legalizar a erva. Podia ser algo com consumo restritivo, tipo Amsterdã. Você só pode ficar maluco na sua casa ou em um ambiente apropriado. E se fosse pego consumindo em público, tinha que pagar multa pesada. Tipo, devia ser assim com a bebida também. Acho justo.

Vou escrever agora mesmo minha cartinha pro Presidente. E pro Papai Noel também.

****

Na minha opinião, esse assunto merece uma abordagem mais séria. Mas estou completamente sem tempo de pesquisar textos e documentos pró e contra a ideia pra escrever um texto decente, por isso me perdoem a superficialidade.

Os quadrinhos e o texto lá do topo são do Robert Crumb feitos pra revista Zap Comix nos anos 1960/70.

Nenhum comentário: