quarta-feira, dezembro 29, 2010

O bom de 2010 foi...

É um jogo. As regras são essas aqui. A ideia é do MaxReinert.

******


2010 foi o ano do Tigre no horóscopo chinês e eu sou de Tigre. Então, 2010 foi o meu ano.

A grande coisa boa que fiz em 2010 foi por em prática o "let the chips fall where they may" do Tyler Durden. (Manja, Clube da Luta? Então...)

O fato é que a gente pensa que tem controle das coisas, mas não tem. Há limites, há coisas que fogem do nosso alcance e há coisas que não fazem a menor diferença se conseguimos fazer ou não. E há coisas que valem a pena fazer e outras não.

Basicamente, 2010 foi o ano em que eu deixei de lado o tal do perfeccionismo e a "vontade de fazer bem feito" e simplesmente fiz o que tinha que fazer, sem pensar muito.

O resultado foi passei mais noites acordado me divertindo que trabalhando, viajei mais, conheci mais gente bacana, produzi mais. Foi um ano que voltei a brincar de desenhar, enchi um sketchbook, fiz umas ilustras legais. Também foi o ano em que mais fiz posts aqui no blog. Virei resenhista do Universo HQ, participei de um congresso internacional de histórias em quadrinhos, voltei a falar com gente querida que fazia muito tempo que não via.

"Faça, não pense" é o mantra. Não se trata de um "não pensar" de robozinho, mas de não ficar numa eterna procrastinação mental de planejamentos e inseguranças.

Faça o que tem que fazer sem ter medo. Se não ficar satisfeito, você sempre terá uma segunda chance. E sempre fará melhor.

Sempre.

O bom de 2010 foi ter conseguido por isso em prática.

=)


2 comentários:

Juli Passos disse...

é o meu guru!

;)

Silvia Azevedo disse...

"(...) não ficar numa eterna procrastinação mental de planejamentos e inseguranças."

É uma grande verdade... na maioria das vezes falta vontade, coragem... sobram desculpas (geralmente, esfarrapadas)... porque o que REALMENTE queremos, nós sempre damos um jeito de fazer; e se não depende da gente, aí é outra história, né?