domingo, janeiro 16, 2011

Litania das horas

O ano precisa começar, mas ele está indo tãããão devagar pra mim.

Os dias passam e as intenções não se concretizam. Horas caminhando pelas ruas, horas sentado na frente da tv, horas reabrindo o google reader e o tweed deck, como se fosse ali aparecer algo que iluminasse o dia. Mas não aparece, é claro.

Lendo livros que já saíram de moda.

Vendo filmes que já não são novidade.

Sonhando com histórias que tenho preguiça de por no papel.

Vendo sol e nuvens e noite e o sol de novo.

Ideias na cabeça, desenhos inacabados na prancheta. Devia ter viajado. Devia ter ido pra outra cidade, fazer nada em ares diferentes.

Shame on me. Shame on me.

Uma moça escreveu: "Quando se tem todo o tempo do mundo pra alguma coisa, o resultado é que não há resultado".

Mas a verdade é que eu não tenho todo o tempo do mundo. Ninguém tem.

A maior parte do meu tempo eu vendo para resolver problemas dos outros.

Mentira. A maior parte do meu tempo eu vendo pra ter dinheiro pra livros, roupas, casa.

Penso que preciso dessas coisas, desses confortos e mimos e comidas gostosas e vendo meu tempo para poder comprá-las. Eu me escoro nessas coisas. E deixo minhas ideias no fundo da cabeça, como fantasias que imagino que ainda não é hora de realizar. Eu me perco em mil pensamentos, mil razões e no fim das contas nada se faz e tudo permanece uma eterna possibilidade.

E logo não será nem isso, porque eu não tenho todo o tempo do mundo.

Ninguém tem.


Nenhum comentário: