quinta-feira, junho 02, 2011

Noir


É bacana quando você encontra algum livro, filme ou quadrinho que te tira da realidade por um momento.

De repente você esquece das pendências do dia, da correria, e simplesmente entra numa outra realidade, mergulha de cabeça num outro lance. É fascinante.

Ontem eu comprei esse gibi: Homem-Aranha Noir, recentemente lançado pela Panini. O gibi em si nem é tão grande coisa, mas sei lá. Acho que é o meu momento.

Tão cheio de coisas pra fazer, fui lendo ele em "prestações" ao longo do dia. Terminei hoje de manhã.

A ideia é recontar a origem do Homem-Aranha, como se ele tivesse surgido nos anos 30. Todos os personagens que estou acostumado são recriados nessa ótica e o clima é daquelas histórias de pulp fiction. Não o filme do Tarantino, mas o estilo de escrita da época.

Ao invés de uma aranha radioativa, entra o sobrenatural e a origem dos poderes é uma maldição. Ao invés da roupa colorida, um uniforme negro muito maneiro. E um revólver. E uma Nova York miserável, sofrendo com a crise econômica e com a neve do inverno.

Enfim, a conclusão da história é fraquinha, mas o começo é muito envolvente. Pode ser que seja só o meu momento, mas curti um bocado esse gibi.

Nenhum comentário: