segunda-feira, outubro 31, 2011

Morro da Favela


Morro da Favela é a história do fotógrafo Maurício Hora, de sua família e sua comunidade do Morro da Providência, no Rio de Janeiro, contada em quadrinhos por André Diniz. Não é um trabalho de ficção.

Quando comecei a ler Morro da Favela, eu tinha a impressão de que ia ver um enredo muito parecido com o filme Cidade de Deus.

Afinal, tanto o filme quanto a história em quadrinhos apresentam um fotógrafo que conta a história de sua infância e de sua família que se acabam se mesclando com a história da própria favela onde vivem.

Apesar desses pontos em comum, Morro da Favela e Cidade de Deus tem abordagens completamente diferentes do mesmo assunto. Enquanto o filme é brutal e dá bastante espaço para a violência, nos quadrinhos o destaque é dado à comunidade, às pessoas que vivem na favela. É um retrato muito humano e cativante.

O tráfico e a criminalidade estão presentes, mas sem a "estética da violência". Não há intenção de chocar o leitor com cenas brutais. Essas cenas acontecem sim, mas mais importante do que elas são suas consequências na vida das pessoas.

A arte de Diniz, que lembra muito as gravuras da literatura de cordel, ajuda também a diminuir o impacto das cenas violentas. É muito interessante o contraste que dá entre os desenhos e as fotografias do próprio Maurício Hora, que aparecem no final da edição.

Aliás, a fotografia é apresentada como mais do que uma "arte" ou uma "saída" para a vida de Maurício Hora: ela é um instrumento de transformação social, que auxilia na construção e valorização da identidade da comunidade.



Quando terminei de ler esse livro eu me senti muito bem. Uma sensação de alto-astral indescritível. Tem muita coisa barra pesada e triste, mas o que se destaca é a humanidade dos moradores do morro da Providência, sua vontade. Fica a impressão de que, apesar de tudo de ruim que tem no nosso país, a gente pode agir como uma comunidade e melhorar as coisas.

Enquanto eu lia, lembrava da oficina de roteiro que fiz com o próprio André Diniz, na Gibicon. Muito legal ver a aplicação prática das ideias e conceitos que ele tinha passado. A questão dos diálogos, as soluções gráficas... Essa oficina me fez aproveitar melhor a leitura do álbum.

Se estiver procurando algum quadrinho bacana pra ler, confira Morro da Favela. Ótima leitura e dá muito o que pensar.


André Diniz e Maurício Hora.


Nenhum comentário: