sábado, outubro 08, 2011

Sobre Steve Jobs

Nunca tinha ouvido falar de Steve Jobs antes de assistir o "discurso de Stanford".

Na época, as palavras do homem mexeram muito comigo. Pode ser auto-ajuda, auto-condescendência ou o que você preferir, mas ainda hoje acredito muito nos valores que ele mencionou nesse discurso: fé, acreditar que as coisas podem fazer sentido, aceitar as porradas que a vida dá, seguir os instintos, esforçar-se pra mudar tudo aquilo que pudermos.

São coisas que importam pra mim.

Daí comecei a procurar saber um pouco mais sobre o Jobs, li um livro, vi artigos. Soube do terrorismo que ele praticava com os funcionários, a dureza com que dirigia a Apple. Ainda hoje li esse texto da Brainstorm 9.

Steve Jobs não era um cara sensacional.

Mas o que eu gosto nele é que parece que entre tantos defeitos e problemas tão sérios, ele deixou uma coisa ou outra que talvez tenham tornado o mundo um pouco melhor pra pelo menos algumas pessoas. E não estou falando das traquitanas da Apple.

Falo de palavras e atitudes que podem levar as pessoas a refletir. Seja como exemplo positivo ou como modelo a ser evitado, Jobs foi significativo.

E a grande pira é que todos nós somos assim. Alguns com defeitos mais gritantes, alguns muito mais discretos em sua existência, mas todos deixamos um legado, alguma coisa que faz diferença pra alguém. Todos fazemos isso, mesmo sem jamais perceber.

Enfim, valeu pelas conversas, Jobs.

E, se alguém ainda não viu, eis o tal discurso de Stanford:

Primeira parte:



Segunda parte:

Nenhum comentário: