quarta-feira, julho 18, 2012

Aquarela




Fim de semana passado fui lá pra Ilhabela, no litoral de São Paulo, pra mergulhar de cabeça num curso de aquarela.

O mestre Gonzalo Cárcamo proporcionou três dias de "intensivão". Ele nos hospedou em sua casa e passou umas lições bem bacanas.


Cárcamo foi muito atencioso. Além de explicar tudo e dar exemplos práticos, ele fazia questão de frisar que o que estávamos fazendo eram exercícios. Aqui começou a primeira lição pra mim: praticar pelo exercício em si, sem se preocupar com o resultado final.

Eu ficava querendo produzir boas imagens e isso atrapalhava os exercícios. Ao invés de me soltar e errar e aprender com os erros, eu ficava tenso, me segurando, tentando fazer tudo certinho...  Demora um bocado até relaxar e deixar a aquarela "acontecer".

Aliás, essa é uma das características da aquarela: a espontaneidade. É possível fazer aquarelas bem realistas, mas o bacana da técnica são justamente as manchas, os acidentes que mais insinuam a imagem do que a mostram claramente. Pra quem é obcecado com precisão na reprodução de um modelo, adaptar-se a essa linguagem mais solta pode ser bem complicado. Pelo menos, está sendo pra mim...

As imagens que apresento aqui foram estudos e mostram um bocado a minha dificuldade com a aquarela.

No primeiro dia, fizemos exercícios monocromáticos. A ideia era perceber os valores tonais, claro e escuro, das imagens. Um dos princípios básicos da aquarela é planejar a imagem. Devido à sua transparência característica, convém começar a pintar os tons mais claros e ir escurecendo a imagem gradativamente.

O primeiro exercício foi copiar uma aquarela pronta, usando apenas a cor sépia.




O segundo exercício já foi direto ao ar livre. Escolhemos um detalhe ao redor e o reproduzimos em monocromia.



O problema nesse segundo foi tentar definir demais as folhas da árvore. A ideia era insinuar tudo com manchas.

Aliás, uma das coisas bacanas que aprendi com o Cárcamo foi adaptar plaquinhas de acrílico a tripés de câmeras para criar um tipo mais leve e prático de cavalete. Muito legal!



No dia seguinte fomos pra praia pintar ao ar livre. Dia de sol, praia, tudo me enganou direitinho. Fui de bermuda e camiseta e o vento frio me judiou... Mas na foto ficou bacana. Cortesia da Pontoal. :-)


A fotografia mostra a gente trabalhando. Aqui está a imagem que pintei. Agora usando cores.


A gente pintava, se batia, e o Cárcamo aparecia do lado todo gentil, dava umas dicas e, no meu caso, umas pinceladas que ajudavam o resultado final a melhorar consideravelmente. Na imagem acima, ele apontou a importância do contraste e reforçou a sombra do barco contra a areia. Ele também deu um trato nas folhas do coqueiro. Assim, as manchas exploram o potencial da aquarela e sugerem a forma das folhas. E fica muito bonito, na minha opinião.

Terceiro dia choveu e a gente não pode ir muito longe. Ficamos nos arredores da casa e comecei a pintar um detalhe de arquitetura. Mas não consegui terminar.


Tirei uma foto e fui fazer hoje outra aquarela, finalizando (ou quase...).



Quem sabe um dia eu pego o jeito?

Quanto ao Cárcamo, o trabalho do sujeito é fenomenal. Dá uma olhada:



Além das pinturas em aquarela, Cárcamo também atua como ilustrador, sendo responsável por charges, caricaturas e diversos livros ilustrados. Coisa fína. Bater papo com ele foi extraordinariamente enriquecedor.

Tem que ficar de olho pra ver quando abre a próxima turma. Eu com certeza vou participar.

Pra acompanhar o Cárcamo, você pode seguir o blog ou o site dele.

5 comentários:

Chilenus disse...

Ei Liber, qualquer hora vou te visitar ai em Curitiba, a aquarela é uma das minhas técnicas favoritas, as tuas ficaram ótimas mas fiquei com vontade de ver esse tripé/cavalete!

liber disse...

Oi, Chilenus

Obrigado pelo comentário!

Os tripés/cavalete são ideia do Cárcamo. Eu recomendo demais o curso de aquarela dele. O cara tem muito pra ensinar e sabe ensinar.

Law disse...

Uau! Muito legal mesmo :) E as suas aquarelas ficaram uma graça. Isso de não se preocupar com o resultado final é uma boa dica mesmo!

O Cárcamo dá aulas só em SP?

liber disse...

Oi, Law!

Obrigado pelo comentário.

Olha só, se não me engano o Cárcamo dá aulas na grande São Paulo e em Ilhabela. Você pode tirar as dúvidas entrando em contato direto com ele pelo e-mail carcamoaquarela@uol.com.br

Abs!

Chilenus disse...

O mais bacana é que o Alarcão tinha me dito uma vez: "Como vocês não conhece o Cárcamo? O cara é o mestre da aquarela e ainda é teu conterrâneo!". Agora conheço pelo Liber!