domingo, agosto 12, 2012

Um pouco sobre amor







Revi ontem Peixe Grande e suas histórias maravilhosas (Big Fish) de Tim Burton.

Fiquei surpreso porque o filme é bem melhor do que eu lembrava (e melhor do que as coisas que vi o Tim Burton fazendo ultimamente).

E eu me dei conta também de que é Dia dos Pais. Peixe Grande é um filme bem bacana pra assistir no Dia dos Pais. Porque, se prestar atenção, você vai perceber que existem amores grandes demais pra serem verbalizados, para serem contidos numa data festiva ou pra serem mensurados.

A vida passa inteirinha e pode ser que você nunca consiga verbalizar pra certas pessoas o quanto elas são fundamentais, sejam nossos pais, filhos ou nossos companheiros e companheiras mais queridos. Mas, muito provavelmente você não precisa verbalizar. As pessoas sabem. Elas sempre sabem.

O amor talvez seja muito parecido com o que o Peixe Grande faz: um olhar que deixa o mundo mais bonito com um toque de fantasia que poucos podem (ou se permitem) enxergar.

O amor pode estar só dentro das nossas cabeças, só dentro dos nossos corações, só em nossos olhos, mas é o suficiente pra tornar a vida extraordinária.

O amor pode ser menos percebido sob a severidade de uma "racional" e obstinada falta de fé, mas continua lá.

O amor é coisa que nos acompanha por uma vida.

Quando eu era pequeno meu pai me acordava cedo pra ir pra escola. Ele me acordava com um carinho, passava sua mão por minha cabeça, sussurrava "vamos acordar" com suavidade. O tipo de detalhe que fica pra trás, mas a gente nunca esquece.

Feliz dia dos pais.


Um comentário:

Maria Angélica Boleta disse...

Adoro você!
E tudo que você escreve!
...e pensa. Saudade =)