terça-feira, setembro 11, 2012

Desencantando...

Foi assim, tava desenhando no sketchbook e me veio a imagem na cabeça.

Desenhei e tal e fiquei satisfeito.


Mas daí comecei a pensar: "puxa, eu podia colorir e colocar no blog, né?"

É. Podia.

E lá fui eu. Duas semanas me enrolando, começando e não terminando.

Sem saber que cores por, sem saber se precisava de cores.

Tentei aquarela, mas não ficou bom. Daí tentei aquarela de novo e ainda não curti.

Daí fui pro computador. Fui fazer uma arte toda detalhada e bem definida. Cheguei na metade. Não curti.

Voltei pra aquarela.

Não deu certo de novo.

E eu tinha vontade de desenhar outras coisas, mas ficava essa vozinha na minha cabeça: "puxa, mas você nunca termina nada, hein?". Daí lembrei do "Manifesto Tá Feito!". Boa hora pra colocar em prática, né?

E fiz. Escaneei parte das aquarelas, pintei outra parte no computador e terminei de uma vez. O grande problema é esse "perfeccionismo", essa ânsia por um impossível resultado perfeito.

Pra mim, o que deve ser a principal motivação é o prazer do ato do desenho em si. O resultado final não deveria ser mais importante para o desenhista do que o processo. Aquele velho papo zen, "não é o destino que importa, mas a viagem".

E aí está. É o novo cabeçalho do blog. Por enquanto.

Agora, partir pra desenhar outras coisas...


2 comentários:

Bianca disse...

acho que o grande lance é se permitir. permitir errar, ficar puto, fazer de novo, gostar. o que você disse sobre curtir o processo de desenhar é, na minha opinião, o mais importante para o melhor trabalho.

nesse feriado que passou eu me forcei a fazer pelo menos uma página da minha HQ pro tcc da pós. mas só tive que me forçar mesmo a dedicar o tempo a isso, a ficar sentada na frente do pc, a colocar a música alta e esquecer o resto (marido, gatos, vizinhos) pra poder fazer.

resultado?
não fiz uma página, fiz três.

e o mais importante de tudo foi que gostei de fazer. a minha HQ tem prazo, porque ela é também meu tcc (pelo menos o primeiro capítulo). mas isso não significa que eu não possa curtir assim mesmo.

liber disse...

Bianca

A questão é essa: achar o equilíbrio entre a curtição e a disciplina. Sem disciplina, a gente não vai pra lugar nenhum, mas sem curtição, não vale a pena a viagem... a menos que vc esteja recebendo uma boa grana pelo trabalho, lógico... hehehehhe!

Obrigado pelo comentário!
Depois quero ver essa história pronta!

:-)