domingo, outubro 28, 2012

in dreams I walk...

Com certa frequência, ao longo de toda minha vida adulta, tive esse sonho.

Caminho pela cidade à noite, procurando pela minha casa.

Não há mais ônibus, não há táxis, não há pessoa alguma nas ruas.

Caminho procurando pela minha casa e todas as ruas, prédios, postes e suas luzes amareladas são diferentes mas ao mesmo tempo desconhecidos e, por isso, iguais.

Sinto familiaridade ao redor, sinto que estou na direção certa, mas sempre termino em becos sem saída, portões fechados, muros intransponíveis e tenho que voltar e tentar outro caminho.

A calçada sob meus pés, as fachadas com janelas sem luz e a solidão da caminhada interminável.

E, com tudo isso, a certeza de que, não importa quanto tempo leve, um dia voltarei pra casa.

Um comentário:

Cadu disse...

Segundo o Sr. Gaheris, Sandman 51 - O Fim do Mundo I, não é você que está sonhando, mas sim, a cidade.

Caso ver algo como uma ponte, uma porta de "quase intolerável familiaridade", corra até ela, não a perca de vista, ou você se poderá se perder para sempre.