terça-feira, junho 02, 2015

Empatia

Ultimamente muita gente tem me chamado a atenção, dizendo que eu preciso ser mais empático. Entender as pessoas. Saber que elas estão sofrendo.
Onde querem que eu exercite minha empatia? Eis os exemplos:
  • Ontem escutei um homem branco dizer que não existe racismo no Brasil, a polícia não discrimina marginais por causa da cor da pele e o fato de existirem poucos negros nas universidades é por causa do mero acaso ou da falta de esforço por parte deles, por isso as cotas são uma extrema injustiça para com os brancos. Não existem brancos, negros e pardos no Brasil, somos todos apenas brasileiros, todos iguais, e falar de racismo é destilar ódio.
  • Pessoas se sentem incomodadas com a propaganda do Boticário porque ela ameaça a "família tradicional" brasileira. Essas pessoas não podem ser chamadas de homofóbicas só porque não querem ver representações dignas de relacionamentos homo-afetivos estáveis na mídia. Elas apenas não gostam de ver pessoas do mesmo sexo vivendo como casais e precisam ser respeitadas por isso. Chamá-las de homofóbicas é preconceito com elas e seu modo de ver o mundo.
  • Homens estão sendo injustiçados pelas feministas. Elas confundem elogios com ofensas. Elas vem dizer que um homem de 30 anos não pode namorar uma menina de 14, porque isso constitui um relacionamento abusivo. Vem meter o bedelho na vida íntima do casal, qualquer casal. Os homens sempre cuidaram bem de suas mulheres e é muito ofensivo e doloroso pra eles terem seu papel de macho questionado. Quem nunca deu uns tapas na companheira num momento de destempero? E quem sabe dizer se ela não merecia?

Daí me dizem pra eu exercitar a empatia com essas pessoas. É pra eu entender que o branco-cis-heterossexual-cristão está sofrendo muito por causa desses rebuliços de gente que vem falar em feminismo, racismo, homofobia. É preciso ter empatia e entender que essas pessoas estão sofrendo com a pesada ditadura do politicamente correto.
E daí parei pra pensar um pouco.
Definitivamente essas pessoas estão sofrendo com tudo isso, com esse questionamento, com essa afronta a tudo que elas sempre consideraram como "natural".
Nunca tinha pensado que essas pessoas sofrem ao se perceberem impotentes diante de uma mudança de comportamento irrefreável.
Esses pobres e impotentes reacionários em vias de extinção.
Eles estão sofrendo.
Que puxa.

Nenhum comentário: