sexta-feira, março 23, 2012

Uma palavra

É estranho se dar conta de que se está fazendo algo pela última vez.
De que se está vendo uma pessoa pela última vez.
A luz do fim da tarde entrando pela janela, as palavras, os procedimentos, os gestos que se repetiram tantas vezes de maneira impessoal, impensada. Mas agora é a última vez e depois nunca mais.
E me dou conta no meio de um fechar de gaveta, de um desligar de computador.
Última vez que se diz tchau pro porteiro e se caminha pro ponto de ônibus.

Existem as palavras "despedida", "adeus", "passagem", "mudança"....

Mas será que existe uma palavra pra descrever o sentimento que se tem quando se percebe que este momento é o último?

quarta-feira, março 07, 2012

Funciona assim...

Quando eu tenho tempo livre, quando a tarde, a manhã ou a noite estão disponíveis e as horas são só minhas e tudo colabora pra que eu possa me dedicar e produzir meu próprio material... não faço nada.

As ideias não vêm e quando vêm a preguiça e a letargia se agarram no meu pescoço, e quando consigo superar tudo isso e me sento e faço sinais, marcas no papel ou na tela, então tudo parece tolo, ruim, fraco, um desperdício enorme de tempo. E nada é feito, nada fica pra contar a história. Sem vestígios.

Por outro lado...

Quando o trabalho e o dever estão juntos comigo, quando tenho que produzir, resolver problemas, arcar com as minhas responsabilidades... quando estou completamente empenhado com tarefas relevantes, importantes e maçantes... daí as ideias vêm.

Aliás, elas não vêm, elas se empilham, espremem-se em minha sala como se fosse em um ônibus de lotação no horário de pico, ocupam todo espaço disponível, dentro de armários, por cima e por baixo da mesa, pelo sofá, pelas paredes até o teto, todas tagarelando, todas brilhando e sorrindo. Todas ótimas.

Rabisco qualquer papel e o traço flui, tudo funciona e se resolve. A vontade de criar é imensa. É só deixar acontecer, só deixar me levar. Tudo vai dar certo.

Mas tem trabalho sério a ser feito.

E tenho que voltar a ele.

Fica pra próxima.

quinta-feira, março 01, 2012

Medianeras



Ah, eu tenho muitas ideias. Todo mundo tem, né?

Agora, sabe quando você tem uma ideia, mas não investe, não cultiva, deixa ela quieta e esquecida lá no fundo gaveta e, então, num belo dia,  você encontra alguém que não só teve a mesma ideia que você como a executou de maneira brilhante?

Eu tinha essa ideia de fazer uma história de amor em que os dois pombinhos jamais se encontrassem. Eu ia mostrar o rapaz e a moça, ia descrever suas vidas e seus sonhos e deixar claro que eles foram feitos um para o outro. Mostraria a solidão de cada um, suas decepções e construiria toda uma expectativa de que eles poderiam se encontrar a qualquer momento, mas eles não se encontrariam. Chegariam bem perto, mas jamais se encontrariam.

Cruel, né?

Era essa a minha ideia.

E daí assisti Medianeras, filme argentino. (Os argentinos mandam muito bem nesse negócio de cinema...)

Medianeras é a minha ideia. Lá está o casal que tem tudo pra se encontrar e não se encontra. Mas o que me dá raiva é que é a minha ideia muito bem executada, com imagens maravilhosas e textos, monólogos, diálogos e situações que são extremamente inteligentes. Me dá raiva e me deixa feliz. Muito feliz.

Medianeras é o tipo de filme que te encanta. Te deixa sorrindo.

As analogias com arquitetura, as reflexões sobre a cidade de Buenos Aires e seus habitantes, o novo significado que é dado aos livros "Onde está Wally?", a internet tratada praticamente como um personagem...essas são algumas das tiradas brilhantes que estão no filme.

Martin e Mariana foram feitos um para o outro, chegam bem perto de se encontrarem, mas sempre acontece alguma coisa que os separa. Na minha ideia, eles jamais se encontrariam. Em Medianeras... bom, você vai ter que assistir pra ver.

A verdade é que eu sou preguiçoso demais, inerte demais. A tal ideia jamais teria sido executada.

Mas se eu a executasse, duvido que ficasse algo tão bacana, tão cativante, tão cheio de vida quanto esse maravilhoso Medianeras.




(Medianeras está disponível em DVD).